RESENHA "CIDADES DE PAPEL" [JOHN GREEN]


"Na minha opinião, todo mundo tem seu milagre. Por exemplo, muito provavelmente eu nunca vou ser atingido por um raio, nem ganhar um Prêmio Nobel, nem ter um câncer terminal de ouvido. Mas, se você levar em conta todos os eventos improváveis, é possível que pelo menos um deles vá acontecer a cada um de nós. Eu poderia ter presenciado uma chuva de sapos. Poderia ter me casado com a Rainha da Inglaterra ou sobrevivido meses à deriva no mar. Mas meu milagre foi o seguinte: de todas as casas em todos os condados da Flórida, eu era vizinho de Margo Roth Spiegelman."




INFORMAÇÕES TÉCNICAS
Escritor: John Green
Edição: 01
Editora: Intrínseca
Ano: 2008
Páginas: 366
Skoob: AQUI







          Cidades de Papel, 4º livro do escritor americano John Green, conta a história de Quentin Jacobsen, um garoto no último ano escolar, perdidamente apaixonado por sua vizinha Margo Roth Spielgelman, a garota mais descolada e popular do colégio. A história começa quando Margo invade o quarto de Quentin convocando-o a uma aventura inesquecível (e completamente sem noção aos olhos do centrado Q). 
          Ao passar a noite ao lado de Margo colocando em prática todos os seus 11 planos, Quentin retorna a sua casa e, já um pouco atrasado, vai para a escola com esperança de reencontrá-la. Porém Margo resolve fugir, deixando várias pistas e segredos para Q encontrá-la. É nesse ponto que começa todo o desenrolar da história, onde Quentin e seus amigos, Ben e Radar, começam a procura por Margo.
         Esse é o primeiro livro que leio de John Green após muitas indicações, onde muitos falavam que a leitura é impressionante, com um vocabulário despojado, bem atrativo e ao mesmo tempo engraçado. Realmente, John Green tem essa habilidade que surpreende. Ele consegue envolver o leitor com situações que, para seu público adolescente, são bem rotineiras e que com certeza já aconteceu alguma vez em sua vida. Porém, ao meio do livro, a leitura se tornou um pouco cansativa, e fiquei me perguntando: PORRA! Por que esse cara ainda está atrás dela? kkk 
          Depois de algum tempo, você consegue retomar a ansiedade de encontrá-la junto a Quentin, ao ver que ele começa a decifrar melhor as pistas e se aproxima mais - finalmente - do tão esperando reencontro com Margo.
John trouxe na história uma lição que serve para, acho que, toda uma vida. Que nem sempre as pessoas são como nós vemos que são. Que as vezes, somente idealizamos alguma pessoa como nós queríamos que ela fosse, quando na verdade, estamos bem longe da realidade. Quem leu, sabe do que estou falando.
          No geral, achei o livro com uma história bem interessante (embora um pouco cansativo) e com um final surpreendente. O mais legal é que consegue-se formar um laço com Quentin e todos os outros personagens. 


          Vamos a minha apresentação. Como já sabem, sou Marcelo de Castro (irmão de Tamiris), novo colaborador do blog. Gosto muito de ler - não tanto quanto minha irmã rsrs - mas o suficiente para, tipo, alimentar minha vontade. Meu gosto é um pouco mais voltado para narrativas, livros com histórias mesmo (personagem, enredo, lugar, aquela narração bem tradicional). Percy Jackson, isso. Meus autores favoritos são Rick Riordan e Sidney Sheldon, mas o que me der vontade eu leio. No momento, escuto muito Imagine Dragons e Phillip Phillips (internacional), e MPB em geral. Não gosto muito de filmes, prefiro séries. E é isso, de vez em quando aparecerei aqui comentando algum livro. Espero que gostem.


Marcelo de Castro
Pausa para um livro

You May Also Like

0 comentários