O Nome do Vento – Patrick Rothfuss (A Crônica do Matador do Rei: Primeiro Dia)

Informações técnicas



Edição: 1
Editora: Arqueiro 

Ano: 2009
Páginas: 656
Comprar: Buscapé





 O Nome do Vento, é um conto épico que se trata de uma auto-biografia do personagem principal do livro, Kvothe, e é contada por ele em três dias (logo se percebe que cada dia será contado em um livro) e mostra a verdade por trás do mito. 



O livro começa com uma amostra da habilidade descritiva do autor, o prólogo nos dá um gostinho da beleza das analogias e metáforas que fluem naturalmente com a escrita de Patrick. Um texto nem um pouco cansativo e que brinca com nossa imaginação. Conhecemos então Kote, o humilde dono da Pousada Marco do Percurso. Seu estabelecimento localizado em uma pequena vila, parece o lugar perfeito para esconder uma lenda viva, mas em fuga. No entanto Kote se vê forçado a agir quando criaturas atacam os moradores e ameaçam o seu disfarce, já que mortes daquele tipo certamente atrairiam atenção indesejada.

Meu primeiro mentor me chamava de E’lir, porque eu era inteligente e sabia disso. [...]Já fui chamado de Umbroso, Dedo-Leve e Seis-Cordas. Fui chamado de Kvothe o Sem-Sangue; Kvothe o Arcano; e Kvothe, o Matador do Rei. Mereci esses nomes. Comprei e paguei por eles.

 É aí então que Kote encontra-se com o Cronista e acidentalmente o salva. Começa então o núcleo da história, quando o Cronista propõe que Kote revele a verdade por trás da lenda de Kvothe, ele aceita e diz que contará sua história em três dias, nem mais e nem menos. A partir daí a história se passa num passado próximo, contando a vida do jovem Kvothe, um pequeno Edena Ruh que viajava com sua trupe, interrompida periodicamente por “interlúdios” em que voltamos à Kote na pousada rapidamente por interferências de terceiros.


Aparentemente Patrick tem uma queda por personagens enigmáticos. Personagens que te prendem e te atraem, não revelam nada e no entanto mostram muito com ações e palavras, complexos e profundos, dão o toque perfeito numa narrativa já perfeita. Muitos têm personalidades tão distintas que é fácil distinguir quem é quem apenas pela maneira que falam. 

Já resgatei princesas de reis adormecidos em sepulcros. [...]Passei a noite com Feluriana e saí com minha sanidade e minha vida. Fui expulso da Universidade com menos idade do que a maioria consegue ingressar nela. [...]Conversei com deuses, amei mulheres e escrevi canções que fazem os menestréis chorar. Vocês devem ter ouvido falar de mim.

A diagramação é linda e com um belo toque clássico, a capa com desenhos magníficos de Simonetti, e uma lombada tão simples que você simplesmente quer levá-lo para sua estante. Páginas amareladas e fonte de uma tamanho ótimo, contribuem para que sua leitura dure horas sem se tornar cansativa. 

Viver é a coisa mais rara do mundo. A maioria das pessoas apenas existe.

Com frases que te marcarão e te acompanharão por toda a vida, é um livro bem escrito com uma história profunda, dramática, romântica, fantástica e, as vezes, um tanto erótica (Nesse livro nem tanto, mas a sequência ‘O Temor do Sábio’ tem boas doses disso). 

Há três coisas que todo homem sensato deve temer: o mar durante a tormenta, as noites sem lua e a ira de um homem gentil.

 Esse livro derrubou minha série preferida, que estava a anos no topo da minha lista de livros preferidos, antes mesmo de termina-lo. História completa com todos os elementos necessários para tecer uma trama complexa e surpreendentemente sombria, ao mesmo tempo que conta de amor e crescimento como algo tão natural que você nem percebe que está acontecendo. Recomendo essa série para qualquer um que queira ler uma história inesquecível. 



You May Also Like

6 comentários

  1. Adorei a resenha! Nunca tinha ouvido falar sobre o livro/autor, então achei bem interessante. Vou procurar saber mais dele.

    Beijos,
    lendouniversos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Maria Clara!
    Não tinha lido nenhuma resenha ainda desse livro e achei incomum.
    Mas o que posso dizer se o " livro bem escrito com uma história profunda, dramática, romântica, fantástica e, as vezes, um tanto erótica ", só posso querer ler e se derrubou sua série favorita (qual é mesmo?), deve ser bom demais.
    cheirinhos
    Rduy

    ResponderExcluir
  3. Confesso que um amigo meu me diz para ler esse livro já faz uns dois anos, mas nunca dei muito crédito. E nunca tinha visto nenhuma resenha sobre ele também. Agora depois de ler essa sua, fiquei interessada e arrependida por não ter lido antes. Vou colocá-lo no topo da lista.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  4. Esta série engloba todos os melhores gêneros: Contos Épicos, Mistério, Drama. Ela conta do crescimento e dos problemas vividos pelo personagem para atingir seus objetivos de maneira tão íntima que você não tem escolha a não ser se envolver e sofrer junto de Kvothe. O simples fato do autor ter escrito a série completa em um único volume e ter dividido em uma trilogia para a publicação, mostra como a história será completa e bem vinculada entre seus volumes. Tornou-se minha série favorita na metáde da leitura do primeiro volume e tenhp certeza que continuará com esse posto por muitos anos. Recomendo para todos os gosto!

    ResponderExcluir
  5. Oi Maria :D

    Estou interessada nesse livro desde que o vi. Acho que ele tem uma mistura de gêneros incríveis, e como você disse, o autor soube criar um personagem enigmático, e claro que não tem como não nos prender na leitura. Adorei a resenha!

    Beijos.
    Passeando com os livros

    ResponderExcluir
  6. Oie Clara!! Adorei sua resenha!!
    Na verdade venho paquerando essa serie desde o ano passado, mas o tamanho dos livros me assustou um pouco não vou negar! Tenho medo de empacar a leitura e não conseguir largar o livro até terminar e isso me fazer gastar muito tempo!!

    Xo
    Alisson
    Re.View

    ResponderExcluir