Persépolis - Marjane Satrapi

Informações técnicas


Edição: 1
Editora: Companhia das Letras
Ano: 2007
Páginas: 352
Comprar: Fnac, Submarino 






Esse livro conta a história de Marjane (coincidência? Acho que não.). Ela aos dez anos foi obrigada a usar véu e estudar em uma escola só para meninas. Ela que nasceu e foi criada em uma família muito moderna e politizada. Ela que viu diante dos seus olhos o começo de uma revolução que levou o Irão ao regime dos xiitas. Ela que vinte anos depois, veio em meio de quadrinhos (algo tão infantil aos olhos de quem apenas vê) contar toda a sua trajetória como Iraniana em busca de liberdade.



Comecei a ler essa obra despretensiosamente, porque alguém me indicou. Pensei: "Nossa, detesto auto biografias, e quadrinhos. O que estou fazendo com isso?". E hoje, depois de ler Persépolis, posso dizer que li pra entender um pouco sobre o Irã, sobre Marjane e sobre o que alguma parte da população (aquelas que eu vejo lutando contra isso na tv) acham sobre o próprio país. 


O livro é um retrato sobre o que Marji passou durante algum tempo no Irã. Sobre o que aprendeu com os seus familiares, e sobre o que aprendeu sozinha. Sobre como ela criou sua própria opinião de como queria viver sua própria vida, e sobre o que era melhor para o país. 

É o medo que nos faz perder a consciência. É ele também que nos transforma em covardes. Você foi corajosa!  Estou orgulhosa de você. 

O mais interessante nesta história é você ver o crescimento pessoal, espiritual e político de Marjane durante a obra. Você vê como as coisas realmente são, e entende as razões de determinadas atitudes. A forma como é contada deu uma vida a história de uma forma que eu nunca imaginei que veria. Os quadrinhos remetem a uma infância, que foi totalmente modificada para Marjane e ela tenta retratar agora. 


A CIA. de Letras fez um trabalho incrível com esse livro, ficou completo, lindo, com uma tradução impecável. Eu realmente não achei um defeito nesse livro, e recomendarei eternamente. 

Vocês já leram? o que acharam?



Obs. Quero pedir um obrigada a Luis Thales, que fez questão de me induzir a ler a obra. Tenho que agradecer eternamente.

You May Also Like

6 comentários

  1. Vi você falando sobre esse livro no vídeo de ontem e, quando vi que tinha resenha aqui, vim "correndo" ler. Eu sempre gostei de quadrinhos e, apesar de na maioria das vezes ele ser, não acho-o tão infantil assim. O que me trouxe para esse mundo foram os gibis da Mônica. Heh. Eu gosto autobiografias. Gosto de conhecer mais sobre cada pessoa. E fiquei bastante interessada sobre o que se trata a história dos quadrinhos. Vou tentar ler essa obra o mais breve possível para saber mais sobre cada detalhe.

    Beijos,
    Império Imaginário

    ResponderExcluir
  2. Gosto de autobiografias, porém detesto quadrinhos. Desde criança sempre fugi destes, porque não me prendem a atenção. Sempre acabo pulando pro final da história, só pra ver o que aconteceu. Interessa-me esse tipo de literatura, mas sinceramente, não tenho vontade de ler quando se trata de quadrinhos. Me parece ser um livro realmente interessante, e adorei a capa, mas provavelmente, por enquanto, vou continuar apenas nisso.

    Abraços, Ale. xx
    lendouniversos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Tamires!
    Quer dizer que nem gosto de biografia nem de HQs? Nossa! Não sabia...
    Tão bom quando um livro nos surpreende para melhor.
    Ver a história de Marjane em um momento tão crítico no Irã, retratado através de quadrinhos, fica melhor o entendimento.
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  4. Ainda não tinha visto nada sobre esse livro, mas ele chamou muito a minha atenção, tanto pelo tema abordado quanto pelo fato de ser em quadrinhos. Creio que vale muito a pena dar uma conferida e é isso que pretendo fazer em breve.
    beijos.

    ResponderExcluir
  5. Tamizinha odeio biografias, autobiografias (biografias não-autorizadas as vezes são legais mas só por causa dos babados e barracos) mas por incrível que pareça me interessei por esse livro. Acho que é pelo fato de ser escrito em forma de quadrinhos, ameniza um pouco a chatice que eu vejo nessas histórias hihi

    ResponderExcluir
  6. Oi Tami :D

    Juro que não me interessei nenhum pouco quando li que era autobiografia. É o tipo de leitura que fica fora da minha lista normalmente!
    Mas os quadrinhos me chamaram atenção, principalmente o último, acredito que o livro deve ter uma pitada de humor e isso é interessante.. Não conhecia o livro, mas tenho a impressão de que irei me dar bem com ele.

    Beijos.
    Passeando com os livros

    ResponderExcluir