Cidades de Papel


Olá pessoal,

Como todos vocês devem saber, semana passada foi a estreia do segundo filme inspirado em um dos livros do John Green. Depois do grande sucesso que foi "A Culpa é das Estrelas", foi  a vez de chegar aos nossos cinemas o filme "Cidades de Papel", dirigido por Jake Schreier.

Sendo um dos meus livros preferidos do John, não perdi tempo e fui correndo para o cinema conferir o filme e falar um pouquinho dele aqui para vocês. Vou tentar falar primeiro só do filme e depois fazer uma pequena comparação com o livro. Então, vamos lá.




Como vocês devem saber, o filme conta a história de Quentin (Nat Wolff) que é vizinho da Margo (Cara Delevingn) e sempre foi secretamente apaixonado por ela. Amigos quando criança, mas logo depois do ensino médio eles se afastam, Margo entra para a turminha mais popular da escola, enquanto Quentin faz mais o tipo de nerd.

Uma noite, Quentin acorda com Margo em seu quarto e ela pede que ele a ajude em uma pequena aventura. Depois de ajudá-la a cumprir nove missões, Quentin volta para casa jurando que, dali em diante, as coisas podem mudar entre ele e Margo. No entanto, ele é surpreendido quando no dia seguinte ela não vai para a escola, o que acontece por uma semana, até que ele descobre que ela fugiu. 

Indignado com o desaparecimento dela, Quentin começa a seguir supostas pistas e, junto com seus melhores amigos, começa uma busca para trazer Margo de volta.


Então, achei o filme extremamente divertido. O tempo passa e você nem percebe, tudo isso pelo simples fato de sempre algo emocionante estar acontecendo. Assim como no livro, a história te envolve de uma forma que é impossível desviar sua atenção.

Comparando com o livro, devo dizer que algo que eu amo muito nos filmes inspirados nos livros do John Green é que eles sempre começam da mesma forma que no livro, com o mesmo texto e, quando você reconhece isso é muuuuito legal mesmo.

Apesar de eu ter amado os personagens, fiquei bastante desapontada quando vi que tinham escolhido a Cara Delevingne para o papel de Margo, não que ela seja uma má atriz, isso também (me julguem), mas pelo simples fato dela ser completamente diferente da personagem criada no livro. A Margo do livro é uma menina super bonitona, popular e tal. A Margo do filme também é popular, mas tem um estilo muito desleixado, totalmente diferente da patricinha que eu tinha criado na minha cabeça. Simplesmente não consigo encaixar atriz no personagem e isso foi algo que me incomodou o tempo inteiro.

Fora isso, não tenho nada para reclamar, exceto o final que foi um pouquinho diferente do livro, mas a história inteira foi bastante fiel e me agradou bastante. Outra coisa que eu gostei muito foi a trilha sonora do filme. As músicas são incríveis e muito bem encaixadas na história. 

De um modo geral, acho que fiquei bastante satisfeita com o resultado. Peço perdão se deixei passar algo, faz quase um ano que li o livro e não me lembro de muuuitos detalhes.


P.s.1: Eu adorei os Papai Noéis Negros que os pais do Radar coleciona, mesmo que falem rapidamente no filme, mas eu adorei que tenham mencionado isso;

P.s.2: PRESTEM ATENÇÃO NO BALCONISTA DA LOJA DE CONVENIÊNCIA DO POSTO DE GASOLINA. Acho que foi uma das surpresas mais agradáveis que tive durante o filme, as pessoas começaram a gritar no cinema, mas, não vou estragar a surpresa para vocês. Corram para o cinema agora e aproveitem o filme.

You May Also Like

5 comentários

  1. Acho que eu tenho um palpite pra quem é esse balconista! hahahah
    Ainda não li Cidades de Papel, e tô me segurando pra não assistir esse filme antes!! Uma pena a Cara (também não gosto dela) não ter combinado com a Margo do livro, mas sendo tendo sido fiel tá ótimo! rs
    Bjs, Clara <3

    ResponderExcluir
  2. Clara!
    Li o livro e fico feliz por saber que a adaptação ficou quase perfeita, a não ser pela atriz que nada tem haver com a protagonista em termos físicos.
    Bom quando isso acontece, porque tem umas adaptações que ficam nada haver.
    Assim que puder, irei assistir o filme.
    “O amor é grande e cabe nesta janela sobre o mar. O mar é grande e cabe na cama e no colchão de amar. O amor é grande e cabe no breve espaço de beijar.”(Carlos Drummond de Andrade)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    Participe no nosso Top Comentarista!

    ResponderExcluir
  3. por favor mão me matem! mais ainda não li nada do green. e não assisti os filmes
    mesmo assim fiquei feliz em saber que foi uma boa adaptação, não tem coisa pior do que ir p cinema(ou ver uma série de tv) e terem mudado completamente a história
    fiquei super curiosa p saber qual é a do balconista....

    ResponderExcluir
  4. Este é um dos meus livros preferidos do John também. Eu simplesmente amei cada detalhe do livro e sua escrita que nunca deixa a desejar.
    Eu ainda não tive a oportunidade de ver o filme, aqui na cidade quase não tem nada. Então pra me ver, teria que viajar pra outra cidade.
    Então acho mais fácil esperar o dvd mesmo! Ò VIDA SOFRIDA!
    Beijos!

    Ps: Estou curiosa quando ao seu Ps2.

    umlugarparaleresonhar.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. O balconista é o John??? Aiii me conta???
    To looouca para ver o filme!! Ameeei o livro, apesar de odiar a Margo, e a Cara nào tem a cara dela, rsrsrsrs
    é bem diferente mesmo!
    aiii to mais curiosa agora kkkk
    bjs

    ResponderExcluir