Onde A Lua Não Está - Nathan Filer

 

Informações técnicas


Edição: 1  
Editora: Rocco
Ano: 2014
Páginas: 271
Comprar: Buscapé





O romance de estreia do enfermeiro inglês, especializado em saúde mental, Nathan Filer, não poderia tratar de um assunto diferente. 
Onde A Lua Não Está é um livro escrito pelo personagem Matthew Homes, ou qualquer que seja o nome real dele, narrando um pouco de sua vida e falando da trágica morte de seu irmão Simon Homes durante uma aventura de verão dos dois irmãos.
Simon era o irmão mais velho de Matt e era portador de síndrome de Down, por ser uma criança especial ele sempre recebia todos os cuidados da família, deixando o caçula um pouco de lado. Mesmo assim, os dois eram bastante unidos e brincavam muito, e mesmo sendo o irmão mais novo, era Matt que sempre cuidava de Simon.



Dentro da minha cabeça está uma história. Minha esperança era de que, se eu contasse, ela faria mais sentido para mim. É difícil explicar, mas se eu conseguisse me lembrar de tudo, se pudesse registrar meus pensamentos em folhas de papel, algo para segurar nas mãos, então - não sei. Provavelmente nada.

Muitas pessoas desistem do livro logo no início da leitura por ela ser um pouco complicada e confusa, Matthew vai narrando os acontecimentos entre flashes de memória e o que está acontecendo no tempo real, então, qualquer distração já é suficiente para fazer você se perder no enredo. A morte do irmão e diversos outros acontecimentos vão transformando o garoto em uma pessoa totalmente diferente e, aos poucos, ele começa a se envolver com drogas e começa a ter alucinações com Simon.
O livro começa a ser escrito quando Matt começa a fazer um tratamento psiquiátrico e é diagnosticado como portador de esquizofrenia, o que justificam as suas visões com o irmão.


Apesar da capa muito linda, o livro é bastante denso, afinal, você vai mergulhar na cabeça de uma pessoa que sofre com uma grave doença mental, vai ver o mundo da forma como ela vê, interpretar as coisas como ela interpreta e para isso, é preciso ter uma certa maturidade para encarar o livro.
Enquanto eu lia, vi diversos comentários sobre a obra e devo concordar com todos eles: esse livro não é para qualquer pessoa. 
É muito complicado compreender a história por trás dele e, se você não conseguir enxergar isso, não vai se passar de um livro bastante superficial. Mas, se você resolver embarcar na mente de Matthew, esse livro é um grande objeto de experimento e de entendimento para compreender como uma pessoa que tem esquizofrenia vive.

Quero falar da diferença entre viver e existir, de como era ser mantido em um hospital psiquiátrico por dia após dia após dia após dia após dia após dia após dia...


A história é bastante bonita, apesar de confusa no começo, mas, depois que você pega o ritmo da leitura ela é bastante bem contada. A linguagem é muito simples e toda a diagramação do livro foi muito bem feita.
A capa é muito muuito linda, me apaixonei por ela desde a primeira vez que vi o livro. Ela possui detalhes fosco e as letrinhas douradas que dão todo um charme.

Se as pessoas pensam que você é LOUCO, então tudo o que você fizer, tudo o que pensar, terá LOUCO estampado.

You May Also Like

6 comentários

  1. Oi, Clara!!
    Realmente parece ser uma leitura forte e que não é pra qualquer um, e por esse livro tratar de assuntos tão reais que eu quero ler.
    Também sou apaixonada por essa capa, é mesmo muito bonita!
    Ótima resenha! Abraço!!

    ResponderExcluir
  2. nossa eu fiquei com vontade de ler esse livro, gostei da sinopse e vc falando no quao forte e denso o livro eh e com isso me deu mais vontade ainda usahusah faz tempo que nao leio livros assim e to querendo.. gosto de historias complicadas usahusahuash a capa eh mesmo mt bonita
    tonsdeleitura.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. começar pela capa: está muito linda!
    eu achei a história muito linda e confesso que adorei a ideia de ter sido escrito em "flash" (tá talvez quando eu começar a ler e me enrolar eu não goste tanto, mas...)
    deve ser o tipo de livro que você tem q ler com tempo para poder refletir entre uma passagem e outra. mas, acho que o fato dele ser confuso no começo deve ser de propósito para o leitor entrar na cabeça de uma pessoa que está doente.
    vou colocar na minha lista para quando tiver de férias, assim posso aproveitar

    ResponderExcluir
  4. Maria Clara!
    Os livros sick lits estão em alta no momento.
    Particularmente gosto dos livros que falam sobre as doenças psicológicas, porque é na minha área de formação e gosto de ver a abordagem dada pelo autor.
    Como falou, não é para todos, mas é para mim.
    “Enquanto a cor da pele for mais importante que o brilho dos olhos, haverá guerra.”(Bob Marley)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    Participe no nosso Top Comentarista!

    ResponderExcluir
  5. Nunca tinha ouvido/lido sobre ele, e ameeei! Amo livros que tratam de doenças (não aquele tipo do tio Nick kkk que só tem mortes), mas aqueles que falam e mostram sobre vários tipos de doenças, o que interferem e como mudam a vidas das pessoas, familiares, etc.
    vou anotar esse aqui, pois já quero!!
    bjooos

    ResponderExcluir
  6. Oi Maria Clara!
    A capa me chamou atenção mas a história nem tanto.
    Acho que só poderei comentar sobre este livro quando tiver uma opinião formada sobre o mesmo.
    Acho que realmente não é para mim.
    Beijos!

    ResponderExcluir